à merda, o amor

Que haja uma (outra)
que haja amor
fora de mim
de meu lar
mas que reste um pedaço seu
de unha cortada
pedaço de céu do abraço seu
demorado ou furtivo-com-licença

Vamos, se apresse
(se quiser. é uma sugestão)
O tempo ruge barriga-das-treze-horas-sem-almoço
Não há ciúmes em mim
há só amor sem amarras
sem café da manhã
Amor sincero das mãos desatadas

Seja bem vindo
destranque a porta
megozemosnos
deixame
em paz
(amada ou não)
gozada!

Ame a quem mereça!
a mim, se desejar
Contanto que cada parte sua esteja em contato com a minha nesse instante urgente

(e à merda, o amor)

Simone Alegre

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s