Poema para ser lido devagar

de suas delicadas mãos, só sinto os dedos
a percorrer ombros costas coxas
Como que semeando algo
de suas delicadas mãos e meus ombros costas e coxas nasce a semente
que é fluido deslizante
Então
de seus deslizantes dedos
sentimos o calor do respiro forte
nossoscorpostentamfundirse
Quase sem conseguir

Palpitantes ostras
Escorrendo calafrios
Os gritos sussurrados e compassados
Antecipam os corpos já agora fracos
A cair

em sono de morte

Catarina Longa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s